sexta-feira, 26 de junho de 2015

Projeto "O uso da língua inglesa numa perspectiva sócio-ambiental".

Professora orientadora: Cecília Rejane Duarte
Alunos Autores: Anna Hygea Vieira, Daniela Fernandes, Débora Oliveira, Ediwenne Brito, Gabriela Paulino, João Pedro Farias, Larissa Paulino, Leandro Pereira e Luana Barbosa.

Introdução
       É preocupação constante e salutar enfatizar a importância e uso e difusão da língua inglesa no contexto contemporâneo, sobretudo no ambiente social em que estão inseridos professores, profissionais da educação e principalmente os alunos cidadãos conscientes da hegemonia do inglês sobre as outras línguas, inclusive a relação linguística íntima com nosso português em vários campos da comunicação nos dias atuais. O inglês está presente no esporte, no cinema, na economia, enfim em todos os setores e convívio com nossos semelhantes vemos em quase todos os lugares palavras e expressões e outros sinais gráficos em outdoors da cidade e periferias, etc. Devemos refletir sobre este tema com muito interesse e também com uma perspectiva cultural imprescindível numa visão do mercado de trabalho tão exigente em que vivemos. Hoje quem domina razoavelmente uma segunda língua tem mais chances de conseguir um emprego melhor do que outros por aí... Portanto, o uso da língua inglesa nesta perspectiva citada no projeto é consistente e fundamental não só cenário local, mas também global.

Objetivos
       Os objetivos que tivemos em mente como grupo foi mostrar para a comunidade escolar e social, a importância do uso da língua inglesa no âmbito sócio – ambiental, e por que não cultural com todas as suas implicações didático – pedagógicas de uma forma ampla no contexto atual em que convivemos. Este projeto tem também como objetivo conscientizar nossos alunos e demais seguimentos sociais sobre a relevância do aprendizado, pelo menos básico, da língua estrangeira, de uma segunda língua como o inglês, incontestavelmente viva na comunicação internacional no mundo globalizado e virtual.

Justificativa 
      Este projeto foi uma iniciativa surgida da ideia de um grande grupo desta escola e para atender as exigências pedagógicas e necessidades da comunidade estudantil, com o foco principal do uso da língua inglesa numa perspectiva sócio – ambiental, sem perder de vista a importância da língua inglesa como mais importante na comunicação entre os povos nos dias de hoje.

Metodologia
       Com o propósito de estudar a língua inglesa, formamos uma equipe com alguns professores e alunos para traçar uma meta para a Feira de Ciências. A equipe de mais ou menos 10 pessoas se articularam para buscar mais conhecimentos acerca do tema. Foi feito uma pesquisa e desenvolvemos, a língua inglesa em uma perspectiva sócio – ambiental. A equipe estudou palavras da língua inglesa usadas no dia – a – dia, e a partir delas desenvolvemos poemas, paródias e apresentações de slides.

Palavras chave
      Hegemonia, sócio – ambiental , cultural, aprendizado, comunicação estudantil, perspectiva cultural, mercado de trabalho.

Referências bibliográficas
  • Ingleswinner.com/blog/postagem/100-palavras-em-ingles-que-usamos-dia-dia
  • Blogabcmicrocamp.com.br/sem-categoria/palavras-em-ingles-usadas-no-dia-a-dia










































terça-feira, 23 de junho de 2015

Projeto - "Crato: da Missão do Miranda à cidade Média”

Orientadores: Antonia  Reginalda  -  aregysb@gmail.com; e Luciano Francisco de Melo luciano.educ@yahoo.com.br
Alunos participantes: Camila Saturnino, Cícera Cintia, Heloiza Namy, Karina Soares, Maurício Vieira, Tamires Batista, Vanessa Clarindo e Vitória Regis.  

INTRODUÇÃO
       A paisagem urbana sob todos os aspectos é criada no cotidiano dos habitantes da cidade em profunda articulação entre o novo e o velho. Desde a criação da Missão do Miranda, no século XVIII até as ultimas décadas do século XX, a cidade do Crato teve um crescimento lento, mas a partir dos anos 90 o crescimento urbano se intensifica dando aspecto de cidade média. Em se tratando de “espaço construído”, dá-se a sobreposição do rural pelo urbano... Da natureza pelo trabalho do homem. Assim, a transferência da Missão do local primitivo, sítio Miranda, onde hoje se ergue o Estádio Mirandão, para a margem direita do rio granjeiro e a posterior expropriação e expulsão dos indígenas configura o fato de que acesso a Terra, à cidade e ao solo urbano ocorrem historicamente, pelo mecanismo do mercado onde “a terra tornou-se mercadoria do modo de produção capitalista” (RODRIGUES, 1994, p.18) adquirida sob a ótica da propriedade privada. Neste contexto, a urbanização cratense atendendo aos interesses do mercado cresce contraditoriamente rumo ao extinto aldeamento da Missão do Miranda; de forma desordenada e sem o devido respeito às leis ambientais.  
OBJETIVO GERAL
Ø   Analisar a origem do núcleo urbano do Crato e os fatores que estão possibilitando a rápida expansão urbana da cidade orientada para o local da antiga Missão do Miranda e perceber as implicações socioespacial e ambiental, provocadas pelo novo arranjo espacial do urbano cratense enquanto cidade média;

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ø  Fazer uma abordagem histórica sobre a origem da cidade do Crato, da primitiva Missão do Miranda e sua transferência a margem direita do rio granjeiro, onde hoje se localiza a praça da Sé.
Ø   Analisar os aspectos jurídicos, econômicos e sociais que impulsionam a valorização dos terrenos e imóveis que acarreta a especulação imobiliária atual da área e adjacências do antigo aldeamento do Miranda.
Ø   Observar o papel dos órgãos ambientais para a preservação da fauna e da flora na área de estudo;
Ø    Analisar e discutir os aspectos relevantes quanto ao planejamento urbano do Crato como cidade  média.    
                                      
METODOLOGIA
          O projeto sobre “Crato: da Missão do Miranda à cidade Média” será desenvolvido de forma interdisciplinar através de pesquisa bibliográfica, estudo de campo e analise de imagens de satélite da área de estudo. Inicialmente será selecionado o referencial teórico necessário para o desenvolvimento do trabalho; com o uso de imagens de satélites, a área de estudo será delimitada; em seguida será realizada uma aula de campo em que na ocasião os alunos tirarão fotografias e aplicarão os questionários, que serão destinados a historiadores, aos órgãos ambientais, as secretarias e departamentos competentes do município, o setor privado e aos moradores da área estudada. De posse dos materiais e recursos provenientes da pesquisa será realizado a produção de um cordel que deverá retratar em rimas  a história do Crato, seu crescimento urbano enquanto cidade média e suas implicações ambientais a longo e médio prazo.

RELEVÂNCIA DO PROJETO
O estudo sobre a origem e crescimento de uma cidade de porte médio e de riqueza natural exuberante como o Crato-CE é de fundamental importância, pois é através da pesquisa, do olhar cientifico que se pode perceber e explicar os fatores relevantes com relação a sua história e sua expansão urbana.                                                                                                                        .                                                                            
CONSIDERAÇÕES FINAIS
A partir da realização deste trabalho percebeu-se que há muitas referencias sobre a origem do Crato, mas em contrapartida há poucos registros sobre a primitiva Missão do Miranda e de seu local de origem. Houveram mudanças significativas e pontuais no crescimento urbano do Crato, bem como, a problemática ambiental e social típicas das cidades médias estão presentes no urbano cratense. Esse estudo possibilitou uma reflexão sobre a história da cidade do Crato e sua importância enquanto cidade média do Cariri.

REFERÊNCIAS
Ø  BORGES, Raimundo de Oliveira. Memória Histórica da Comarca do Crato. UFC – Casa de José de Alencar, Programa Editorial, 1997.
Ø  CORRÊA, Roberto Lobato. O espaço urbano. São Paulo: Ática, 1989.
Ø   RODRIGUES, Arlete Moysés. Moradia nas cidades brasileiras.  São Paulo: Contexto, 1994.
Ø   SPOSITO, Eliseu Savério. Redes e cidades. São Paulo: editora UNESP, 2008.
Palavras-chaves: Missão do Miranda, Crato, Urbanização, cidade média,  mercado e impactos ambientais.

                                                         
Estádio Mirandão e UPA (ao lado)                                

Igreja da Sé
  
















segunda-feira, 22 de junho de 2015

PROJETO CARDÁPIO DE LEITURA: “A LEITURA NA FORMAÇÃO DA CIDADANIA”.


Responsável: Prof. Isylla Mônica Alves Nunes.
Alunos(as): Josilene, Fernanda, Janne Kelly, Ellen, Emilly, Brenna, Alice, Louanny .
Público-alvo: 9º ano “A”

APRESENTAÇÃO

Ler e interpretar é a base para aquisição de todo e qualquer conhecimento. Com o intuito de desenvolver em nossos alunos a leitura fluente, a escrita, a interpretação e o gosto pela leitura; vimos a necessidade de desenvolver um projeto de leitura, envolvendo os alunos da turma do 9o ano “A”.
A leitura é imprescindível para o desenvolvimento de habilidades essenciais para a emancipação social e para a promoção da cidadania.
Neste âmbito, focamos a leitura de gêneros literários como a crônica, a poesia, o conto e o romance para a construção de cardápios, onde são elencadas as obras lidas pelos alunos em cada bimestre.
Esperamos com o desenvolvimento deste trabalho, que o nosso aluno possa ler com funcionalidade, analisar, criticar, julgar, posicionar-se diante do que lê, e que possa ser agente multiplicador de leitores em nossa escola.

PALAVRAS- CHAVE: Leitura, alunos, habilidades, competências, cidadania.
 
OBJETIVOS
• Despertar o prazer da leitura e aguçar o potencial cognitivo e criativo do aluno;
• Facilitar o acesso a diversos gêneros literários, buscando efetivar , enquanto processo, a leitura e a escrita;
• Possibilitar o surgimento de agentes multiplicadores do público leitor na escola;

METODOLOGIA
*Levantamento dos alunos da turma que não possuem carteirinha da Biblioteca;
*Encaminhar a confecção das carteirinhas de leitor junto ao Centro de Multimeios;
*Divisão da turma em equipes para a realização do trabalho;
*Orientar os alunos para fazerem a locação dos livros de acordo com a escolha do gênero em cada bimestre;
*A partir da leitura, preparar um cardápio com as referências bibliográficas dos livros e um comentário individual de cada participante da equipe, incentivando a leitura da obra;
*Cada equipe deverá criar uma capa bem criativa para o seu cardápio;
*Realização de rodas de leitura em sala de aula.


RESULTADOS
Com o desenvolvimento deste trabalho, que ainda está em andamento, pudemos observar um aumento no número do público leitor em sala de aula; o aperfeiçoamento das habilidades de leitura referentes a cada um dos gêneros já trabalhados bimestralmente e do desenvolvimento de habilidades de leitura que possibilitem ao aluno o exercício pleno de sua cidadania.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
A partir das atividades desenvolvidas em cada bimestre, onde focamos a leitura de um tipo de gênero, pudemos constatar que surgiu um interesse natural pela leitura em cada um dos participantes do projeto, bem como o interesse de outros alunos da turma em adquirir a carteirinha da Biblioteca para leitura livre; e boa parte da turma vem adquirindo competências leitoras para o exercício de sua cidadania ampliando a sua visão e leitura de mundo.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

V Feira de Ciências da Escola José Alves de Figueiredo


A V feira de ciências da Escola José Alves foi oficialmente aberta pela Coordenadora Pedagógica Selene Silva as 08hs da manhã desta sexta feira – 19/06/2015. Após a abertura da Feira, a Coordenadora do Projeto Mais Educação, a professora Joelma apresentou um grupo de alunos que realizaram uma peça com fantoches sobre o Lixo na Escola. A peça apresentada pelos alunos do Mais Educação teve organização e orientação da professora Elitânia e, é intitulada – “A vingança do Coringa e dos alunos contra a escola”. A peça foi um sucesso pela coerência do texto e pelo nível de conscientização repassado pelo grupo à comunidade escolar.


quinta-feira, 18 de junho de 2015

RESULTADO DA ELEIÇÃO PARA O GRÊMIO ESTUDANTIL


Após um período de campanhas, com divulgação de candidaturas e das propostas de cada chapa, seguido de um intenso debate (terça-feira, 16/06/2015), a eleição para o grêmio estudantil da Escola José Alves de Figueiredo chega ao fim,  com a vitória do candidato da chapa 1 -  Juventude Unida, Raniel Aldo, com 57, 92 %.
A eleição teve inicio às 07:39 de ontem, 17/06/2015, e término às 20: 33hmin.
Todo o processo de votação e apuração dos votos foi realizado no Laboratório de Informática (LEI), com uma urna eletrônica. Participaram do momento de apuração dos votos a gestora da Escola, Graça Valdevino, o  coordenador Marcos Gomes, os professores Tiago Arruda e Epitácio Rodrigues; os alunos Antonio Adelson e Antonieta (membros da comissão eleitoral); e Jéssica Marques, representante da Chapa 2- Força Jovem e Raniel Aldo, representante da Chapa 1- Juventude Unida.
O conforme o relatório final da apuração:
Raniel Aldo : 57, 92%  dos votos;
Victor Thiago: 23, 96 - dos votos; Brancos: 12, 92 - dos votos;
Nulos: 5, 21 - dos votos.










video

quinta-feira, 11 de junho de 2015

A ESCOLA JOSÉ ALVES: PARTICIPAÇÃO NA SEMANA DO MEIO AMBIENTE

Nesta quinta feira, a partir da 14h, os alunos do 2º e 3º ano da Escola José Alves de Figueiredo participaram de uma palestra sobre o  meio ambiente. A palestra foi ministrada pelo técnico da SEMACE, José Melo, e que teve como tema: Meio Ambiente e degradação ambiental", que contou também com a presença de Milena Cordeiro Borba, fiscal ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. A palestra era uma das ações contempladas na programação da Semana do Meio Ambiente, que neste ano trouxe como lema "Meio ambiente: direito de ter, dever de cuidar".
Na terça (09/06) alguns alunos do 3º ano, do turno da manhã, desta Escola já havia participado de uma "Trilha na UC Parque Estadual Sítio Fundão". 
Tanto a primeira quanto a segunda participação da Escola no evento se deu graça à parceira que ela mantém com a Secretaria do Meio Ambiente e Controle Urbano, no que diz respeito à ações de voltadas à temática do meio ambiente e  a educação ambiental.

AVALIAÇÃO PROGRESSIVA: ANALISANDO OS RESULTADOS

      No decorrer desta semana (de 08 a 11 de junho), a coordenação pedagógica da Escola José Alves de Figueiredo apresentou aos alunos os resultados dos rendimentos escolares a partir das avaliações do primeiro bimestre. 
     Na ocasião, a coordenação pedagógica fez, com as várias turmas separadamente, uma avaliação das possíveis causas dos rendimentos e discutiu com os alunos propostas de intervenções pedagógicas que ajudem a melhorar aquelas situações nas quais as turmas mostraram rendimento abaixo do esperado.